A Casa do Enforcado, de Paul Cézanne

A Casa do Enforcado, de Paul Cézanne

O tema deste artigo trata-se de uma das obras fundamentais do magnífico pintor francês que deixou a sua marca na eternidade com suas obras no fim do século XIX e começo do vigésimo, A Casa do Enforcado, de Paul Cézanne.

Talvez A Casa do Enforcado n√£o seja a sua obra mais conhecida, mas certamente √© uma das mais simb√≥licas e importantes de sua carreira. Import√Ęncia que iremos explicar mais adiante, al√©m de identificar a qual corrente art√≠stica o quadro est√° relacionado.

Saiba mais sobre A Casa do Enforcado a seguir.

Continue na leitura.

Sobre o artista

Paul Cézanne nasceu em uma cidade muito privilegiada em termos de beleza natural, pois era muito procurada pelos grandes artistas de seu tempo por causa de sua luminosidade encantadora, cheia de nuances suaves que formam verdadeiras obras de arte com as paisagens que ali se encontram.

Tal cidade situa-se no sul da França, é conhecida como Provença.

Certamente as belezas naturais dessa urbe not√°vel serviu ao excepcional artista de fonte de inspira√ß√£o e grande escola para aperfei√ßoar a sua t√©cnica de pintura, a perceber os detalhes de ilumina√ß√£o e a variedade dos plantios mais diversos e formosos, em diferente situa√ß√Ķes, como nos dias de sol e de chuva.

Destaca-se que, como citado, Proven√ßa era ponto de ref√ļgio dos principais artistas da √©poca de Cez√°nne para aprimorarem suas t√©cnicas e pela busca de refer√™ncias inspiradoras, sendo extremamente comum que a cidade ganhasse vida nos quadros dos mais diversos artistas, no entanto a primazia de C√©zanne foi tal ao dedicar os seus tra√ßos para retratar a bela cidade que conseguiu o feito de faz√™-la ser associada indelevelmente a sua arte, ao seu estilo.

O autor de A Casa do Enforcado tornou-se uma das grandes referências do Impressionismo e do pós-modernismo, sendo a obra que motiva o presente artigo o seu trabalho de estreia no movimento artístico primeiramente citado.

Procuremos nos aprofundar mais a respeito.

O Impressionismo

O que se trata o Impressionismo? Quais são as suas principais características? O que o difere das demais escolas de arte?

O Impressionismo, na qual se situa A Casa do Enforcado, surge em um contexto hist√≥rico em que as escolas de arte tradicionais, os movimentos art√≠sticos cl√°ssicos, se encontravam em seu esgotamento, n√£o conseguiam mais refletir o esp√≠rito da √©poca, final do s√©culo XIX, marcado por grandes transforma√ß√Ķes da sociedade com a revolu√ß√£o industrial, a ascens√£o das grandes ind√ļstrias que formaram a elite burguesa e a classe oper√°ria.

Diante de tantas novidades proporcionadas pelo desenvolvimento tecnol√≥gico e pela acelera√ß√£o e aperfei√ßoamento da divulga√ß√£o de ideias, considerou-se que as conven√ß√Ķes cl√°ssicas, as normas impostas pelos estilos art√≠sticos consagrados pela academia, j√° se encontravam superados, pareciam grilh√Ķes que limitavam novas formas de se express√£o que verdadeiramente se coadunavam com a nova ordem social, que dialogava efetivamente com o p√ļblico √°vido por novidades.

Também destaca-se que havia um sentimento, talvez o maior impulsionador das novas correntes artísticas, das classes mais abastadas de que precisavam valorizar os seus engenhos, as suas proezas, as suas conquistas por meio da ciência em contraposição aos velhos rompantes da massa trabalhadora de se exaltar o trabalho coletivo e rudimentar de tempos remotos.

Essa mistura de desejos por algo novo que refletisse o espírito do tempo e as conquistas do mundo moderno foi o combustível que trouxe a luz o que aprendemos a chamar de Modernismo. Diversas correntes artísticas surgiram com esse princípio de propor algo novo e que se distinguissem das velhas escolas, todas passando a integrar  a cartela abrangente e variada do Modernismo.

O Impressionismo desponta nessa √©poca de efervesc√™ncia e ruptura propondo atender o princ√≠pio de expor algo destoante do que ent√£o reinava na academia, nas artes pl√°sticas: em vez de focar na captura mais fiel e popular poss√≠vel dos objetos e formas, a preocupa√ß√£o do movimento era eternizar as nuances, as varia√ß√Ķes da luminosidade, das sombras, do movimento e at√© do som nas formas e nos objetos.

A camada mais familiar era o que menos importava, mas, sim, a percep√ß√£o de que as cores da natureza podiam modificar de acordo com a incid√™ncia de luz em determinados trechos e hor√°rios. Quer-se captar o √°timo de mudan√ßa, as impress√Ķes sensoriais da cor, luz, som e movimento.

Por essa raz√£o, o impressionista pinta ao ar livre, no aguardo do deslocar da luz, e pinta v√°rias vezes o mesmo objeto ou ser em hor√°rios distintos.

A Casa do Enforcado

La Maison du Pendu ou A Casa do Enforcado, de 1873 foi para Paul C√©zanne uma pe√ßa de import√Ęncia capital para sua trajet√≥ria de artista, primeiro por ter sido integrada ao grupo considerado impressionista, apesar dos protestos de um dos expoentes do movimento, Claude Monet, corrente art√≠stica que se estabeleceu como uma das refer√™ncias de pintura nos anos posteriores e, segundo, por ser a sua primeira obra comercializada, vendida. O comprador chamava-se conde Doria (nenhuma rela√ß√£o com o ex-prefeito da capital paulista que jurou de p√© junto que n√£o abandonaria a prefeitura para disputar outro cargo. Por ter mentido, foi agraciado com o cargo de governador).

Os protestos advindos de figur√Ķes como o seu Monet se deveu por considerar o trabalho de C√©zanne ‚Äúousado demais‚ÄĚ e que poderia prejudicar os demais participantes.

A Casa do Enforcado é uma composição com pinceladas oblíquas, espátula vigorosa e volumes e planos que se interagem, já denotando uma das características que viriam a se transformar em uma das grandes marcas do consagrado pintor francês.

A esquerda do quadro A Casa do Enforcado, encontra-se uma casa em primeiro plano. Mais ao centro nota-se outras casas com telhados geométricos e ao fundo, percebe-se  pradaria verde , acompanhada, mais atrás, por uma cordilheira.

A Casa do Enforcado

Considera√ß√Ķes finais

A Casa do Enforcado é o quadro de estreia do pintor francês, nascido na cidade de Provença, ao Sul da França, famosa por suas paisagens abrilhantadas pela iluminação diferenciada que ajuda a compor quadros idílicos encantadores e por isso fonte de inspiração para diversos artistas de seu tempo, no Impressionismo.

Além de marcar a estreia do autor em tal movimento, foi a sua primeira peça de arte que lhe rendeu retorno financeiro significativo.

Gostou do conte√ļdo?

Ent√£o curta, compartilhe, avalie.

Sua opinião é muito importante para nós.

Leave a Reply