Dadaísmo

Dadaísmo foi um movimento inciado em Zurique, em 1916

O dada√≠smo foi um movimento chamado de ‚Äúantiarte‚ÄĚ criado em Zurique, mais precisamente no Cabaret Voltaire. Dessa forma, esse movimento tinha a premissa de questionar a arte, isso pelo contexto que o mundo vivia no per√≠odo da Primeira Guerra Mundial.

O dadaísmo

O dada√≠smo tamb√©m fora chamado de dad√°, que √© uma palavra da l√≠ngua francesa que significa ‚Äúcavalo-de-pau‚ÄĚ. Isso porque, naquele per√≠odo a arte era vista como algo que tinha perdido o sentido, e por conta disso surgiu esse movimento em forma de protesto.

O dadá foi pensado e criado pelas vanguardas europeias, exatamente no século XX, em meio à Primeira Guerra Mundial. Dessa forma, o movimento visava ironizar e questionar a arte, incluindo o seu contexto na história.

Al√©m disso, o dada√≠smo tinha como lema a frase ‚Äúdestrui√ß√£o tamb√©m √© cria√ß√£o‚ÄĚ, e com isso atacavam a l√≥gica que regia a arte e a sociedade num todo. Atacavam todos os padr√Ķes atuais de uma forma anarquista, buscando romper com os padr√Ķes tradicionais sociais.

O movimento foi criado no Cabaret Voltaire por diversos artistas, entre escritores, poetas e também pintores refugiados desenharam o dadaísmo. Desse modo, um dos maiores articuladores desse movimento foi o poeta de origem romena Tzan Tzara.

Al√©m dele, outros in√ļmeros artistas e ativistas fizeram parte da cria√ß√£o do dad√°, como Hugo Ball, Emmy Hennings, Sophie Tauber-Arp, Jean Arp, Marcel Janco, entre outros. Assim sendo, o objetivo era satirizar as condi√ß√Ķes daquele momento com certa irracionalidade e pessimismo.

Para melhor compreender o movimento dadaísta, citaremos abaixo quais foram os maiores artistas desse infame e excêntrico movimento:

  • Hugo Ball, um dos fundadores;
  • Marcel Duchamp;
  • Hans Arp;
  • Max Ernst;
  • Salvador Dal√≠, com algumas obras.

Apesar de ser predominantemente surrealista, Dalí também se enquadrou no dadaísmo e no cubismo em suas pinturas. Além disso, o artista possuía fortes ideais políticos embasados na anarquia e possuía uma postura ácida e crítica, o que contribui para que seja enquadrado no dadá.

O movimento político e social

O dad√° tinha como objetivo a forte cr√≠tica aos ideais pol√≠ticos e sociais, e buscava se utilizar da arte como arma para essa luta. Da mesma forma, atacava fortemente os padr√Ķes tradicionais com irrever√™ncia e espontaneidade, com a inten√ß√£o de chocar a arte tradicional, o sistema e a burguesia.

A busca por destruir par√Ķes acabou fazendo com que o movimento prezasse pela ‚Äúantiarte‚ÄĚ, visto que era contr√°rio ao perfeccionismo e harmonia art√≠stica. Isso pode ser observado nas obras criadas pelo dada√≠smo, em especial pela obra A Fonte, de Duchamp.

Além da grande força e evidência que esse movimento atingiu na Europa, também tivemos artistas brasileiros influenciados pelo dadaísmo. Assim sendo, podemos citar os escritores Manuel Bandeira e Mário de Andrade, além do pintor Ismael Nery.

Foi principalmente nas artes plásticas e na literatura que o dadaísmo obteve maior difusão e influência. Desse modo, os poetas dadaístas utilizavam as palavras de forma aleatória, sem que houvesse rimas e até mesmo um sentido claro. A sátira era a regra.

Os traumas e horrores causados pela Primeira Guerra impulsionaram o dadá para ter continuidade e maior alcance artístico no pós-guerra, visto que a sociedade europeia estava completamente abalada e desestruturada. O protesto dadaísta foi uma forma de expressar isso tudo na arte.

Dadaísmo

As obras do dadaísmo

Conforme vimos anteriormente, a literatura dadaísta se utilizava de palavras aleatórias sem rimas e com teor poético nulo. Da mesma maneira, as pinturas desse movimento eram criadas de forma desconexa, visando sempre chocar as pessoas com a então chamada Shock Art.

Uma das principais obras desse movimento foi A Fonte de Marcel Duchamp, com lançamento no ano de 1917. Essa obra obteve grande destaque apesar da forte crítica. Isso porque se tratava de um mictório branco, sem encanamento e com alguns escritos na base.

Outra obra de Duchamp foi uma versão satírica da Mona Lisa, de Leonardo da Vinci. Dessa forma, o Marcel colocou um bigode na arte original, e incluiu também algumas palavras rabiscadas que se referiam a obscenidades, visando difamar mais ainda a clássica e renomada obra de arte.

No geral, a maioria das obras visuais do dada√≠smo se tratava de fotomontagens. Assim sendo, os artistas faziam recortes aleat√≥rios de fotos e montavam colagens sem sentido, com o objetivo de chamar a aten√ß√£o e at√© de causar repulsa ao p√ļblico.

Foi no Cabaret Voltaire que o dad√° teve as suas grandes apresenta√ß√Ķes e demonstra√ß√Ķes art√≠sticas. Desse modo, as apresenta√ß√Ķes nonsense realizadas tinham como caracter√≠sticas o barulho exagerado e desarm√īnico como bater em instrumentos musicais, dan√ßar e at√© mesmo declamar poemas.

Um ponto marcante √© que os artistas que performavam no Cabaret Voltaire geralmente eram muito entusiasmados e vibrantes, apesar de desarm√īnicos. Isso porque esse era o conceito do dad√°, e isso foi o que fez o local ser t√£o memoravelmente lembrado como sede do movimento.

O fim do dadaísmo

Como todos os per√≠odos na arte, o dada√≠smo tamb√©m teve o seu fim. Visto que se tratava de um movimento barulhento e fora dos padr√Ķes, n√£o poderia ter sido diferente na morte desse t√£o aclamado e rejeitado movimento.

Foi exatamente no ano de 1922 que o seu principal idealizador falou em uma palestra que o movimento estaria chegando ao fim. Desse modo, o cabeça Tristan Tzara comunicou de uma forma inusitada que o movimento dadaísta chegara ao seu fim.

Na ocasi√£o, Tzara disse que como tudo o que existia na vida e no mundo, o dada√≠smo era in√ļtil e n√£o tinha sentido algum. Por conta disso, pode-se afirmar que em 1924 o dad√° veio a converter-se em Surrealismo, baseado no manifesto conduzido por Andr√© Breton.

Isso fez com que o dada√≠smo morresse de forma s√ļbita e inusitada, e acabasse dando origem a um novo movimento art√≠stico. No entanto, o dada√≠smo se diferencia por conta de n√£o ter sido formado apenas por artistas, e justamente por n√£o utilizar a arte de forma harm√īnica.

Apesar desse movimento não ter tido um representante no Brasil, acabou influenciando alguns artistas nacionais. Além disso, a obra de Mário de Andrade chamada Macunaíma apresenta fortes características do dadaísmo, conforme é dito pelo nosso meio literário.

Leave a Reply