A √öltima Ceia, de Leonardo da Vinci

Assim como a emblem√°tica Mona Lisa, o quadro ‚ÄúA √öltima Ceia‚ÄĚ √© outra obra-prima criada pelo mestre renascentista Leonardo da Vinci. No afresco, Da Vinci (1452-1519) retratou Jesus Cristo e seus ap√≥stolos naquela que seria sua √ļltima refei√ß√£o antes de sua crucifica√ß√£o.

Encontrado na cidade de Mil√£o, na It√°lia, a composi√ß√£o tem grandes dimens√Ķes: 4,60¬†por 8,80 metros.

Uma das obras de arte mais célebres de todos os tempos, ela pode ser apreciada no Convento Santa Maria Delle Grazie, onde chega a ser uma das mais copiadas e estudadas no mundo.

Compondo a obra-prima

Um dos maiores √≠cones da Hist√≥ria da Arte, ‚ÄúA √öltima Ceia‚ÄĚ √© a representa√ß√£o do evento b√≠blico no qual Cristo faz sua √ļltima refei√ß√£o em companhia de seus disc√≠pulos.

O momento retratado pela obra seria aquele em que Cristo teria acabado de confirmar que saberia da traição por parte de um de seus discípulos.

Veja tamb√©m –¬†Renascimento: saiba tudo sobre esse per√≠odo na Hist√≥ria da Arte

A teoria ganha fundamento ao percebermos uma certa agita√ß√£o por parte dos elementos, que foram representados por gestos e express√Ķes que demonstram certa inquieta√ß√£o.

Com uma composi√ß√£o rigorosamente equilibrada, a pintura apresenta um gestual de grande import√Ęncia, pois ele consegue transmitir as emo√ß√Ķes de acordo com a narrativa.

Vale ressaltar que toda essa import√Ęncia de retratar gestuais para se construir a cena tem confirma√ß√£o do pr√≥prio autor.

Ele afirma que, além de ser ponto essencial da obra e o mais difícil de se retratar, a intenção maior ainda era a de apresentar uma visão da intenção da alma humana.

Também se pode deixar de fora a arquitetura do local, mesmo servindo como um simples cenário para os personagens centrais da composição.

Neste caso, o afresco e seus elementos arquitet√īnicos n√£o se sobrep√Ķem aos elementos e ainda contribuem para dar o destaque necess√°rio e atribuir mais profundidade √† pintura.

A √ļltima ceia

As técnicas utilizadas

Para criar ‚ÄúA √öltima Ceia‚ÄĚ, Da Vinci resolveu deixar de lado as t√©cnicas mais tradicionais de afrescos, como o uso de t√™mpera de ovo aplicado sobre reboco umedecido. Assim, ele preferiu realizar a obra utilizando uma liga √† base de √≥leo e a aplica√ß√£o sobre gesso seco.

Especialistas dizem que a escolha pode ter sido feita para ele garantir cores primorosas e diferentes entre os tons escuro e claro. Isso adicionava um aspecto mais específico à obra, como era uma de suas características mais marcantes.

Outra hipótese era a de que a escolha fora feita pelo simples fato de que Da Vinci não era especialista na técnica de pintar afrescos.

Outra vantagem era a de o óleo permitir a pintura em várias camadas, deixando em aberto a possibilidade de ir repensando a pintura enquanto a executava.

Seja por qual for a raz√£o, o grande problema que surgiu com o passar dos anos √© que a t√©cnica √© um desastre em termos de conserva√ß√£o. Afinal, muito pouco tempo ap√≥s seu t√©rmino, ‚ÄúA √öltima Ceia‚ÄĚ j√° apresentava sinais de deteriora√ß√£o.

Como j√° √© de esperar, at√© aos dias atuais a pintura j√° passou por uma infinidade de interven√ß√Ķes, restaura√ß√Ķes e repinturas. Isso sem contar com os danos ocorridos no s√©culo XIX, quando Napole√£o e seus soldados usaram o convento para servir de est√°bulo para cavalos.

Falando em conflitos, essas mesmas instala√ß√Ķes tamb√©m chegaram a sofrem graves danos durante os bombardeios da Segunda Guerra Mundial.

Nessa época, a pintura chegou a ficar exposta às intempéries e à ação do tempo e demais eventos climáticos.

Contudo, somando-se sua import√Ęncia e multiplicando-a pela fragilidade desse tipo de pintura, o resultado pode ser considerado como um grande milagre!

‚ÄúA √öltima Ceia‚ÄĚ ainda est√° dispon√≠vel e aberta (mesmo que com acesso mais restrito) para visita√ß√£o.

Detalhes e curiosidades

Da Vinci, com o intuito de representar pessoas comuns, não utilizou argolas nem Jesus em algum dos apóstolos da pintura.

A visita√ß√£o de ‚ÄúA √öltima Ceia‚ÄĚ √© certamente muito concorrida. Mas est√° aberta apenas mediante a compra antecipada de ingressos. Mas programe-se, tem que ser feita meses antes.

Tamb√©m chamado de “Santa Ceia”, a pintura tem dimens√Ķes de 4,6 por 8,8 metros.

‚ÄúA √öltima Ceia‚ÄĚ est√° localizada numa sala reservada para os monges fazerem suas refei√ß√Ķes.

Certas teorias indicam que Maria Madalena tamb√©m est√° presente na obra, do lado direito de Cristo. √Č at√© poss√≠vel notar algumas caracter√≠sticas femininas.

No livro (2003) e no cinema (2006), “O C√≥digo Da Vinci” traz um enredo que envolve diversos mist√©rios relacionados √† pintura de Da Vinci. A mais curiosa √© uma suposta rela√ß√£o entre Jesus e Maria Madalena.

A √ļltima ceia

Restaurando e conservando de obras-primas

Pela t√©cnica fr√°gil, sabe-se que a obra ‚ÄúA √öltima Ceia‚ÄĚ teve os primeiros casos de descascamento com Da Vinci ainda vivo.

Ainda assim, mesmo cinquenta anos após sua morte, os cuidados não foram necessários e deixaram a pintura num grau de deterioração muito avançado.

Entretanto, no ano de 1726, houve uma primeira restauração completa. Mas, entre diversas tentativas para sua preservação e uma reparação regular, boa parte delas chegou a causar mais estragos do que restauração.

Uma curiosidade a respeito da preserva√ß√£o de ‚ÄúA √öltima Ceia‚ÄĚ foi a de que, durante uma das tentativas de reparo, acharam um prego na cabe√ßa de Jesus. Ele estava ali para marcar um dos pontos de fuga usados por Da Vinci para representar a perspectiva da obra.

Enfim, a pintura em exposi√ß√£o que vemos hoje √© o trabalho dos restauros que chegaram a durar 20 anos. De 1979 a 1999, especialistas tinham apenas um simples objetivo: recuperar uma das obras-primas mais ic√īnicas da hist√≥ria.

Pelo que apuramos, está em andamento mais uma intervenção para restauração, mas dessa vez o objetivo é estudar e proteger a obra em relação a aspectos climáticos e de ambiente.

Por isso que sua visitação é muito rígida e tem que ser controlada. Por vez, são apenas 25 felizardos que podem contemplar tamanha genialidade.

E o tempo tamb√©m √© curto: s√£o apenas 15 minutos para olhar e guardar um momento √ļnico.

Como precau√ß√Ķes para controlar o anseio dos visitantes, todo o ambiente √© climatizado, evitando que micro-organismos possam afetar a pintura e comprometer a seguran√ßa do ‚Äúmais-que-sagrado‚ÄĚ refeit√≥rio do convento de Santa Maria delle Grazie.

Leave a Reply