Grafite urbano

Grafite urbano: entenda a arte e a sua import√Ęncia

Voc√™ j√° deve ter ouvido pessoas que consideram o grafite urbano e picha√ß√£o a mesma coisa, mas saiba que isso n√£o √© verdade. Inclusive o grafite √© uma arte contempor√Ęnea que aparece em museus, e mais, existe um museu somente para grafites em Paris. Incr√≠vel n√£o √©? Acompanhe a hist√≥ria do grafite abaixo para entender mais sobre arte.

O surgimento do grafite urbano

O grafite, essencialmente, surgiu em meados de 1970 na cidade de Nova York, quando jovens começaram a registrar marcas e desenhos nos muros da cidade, mas esse hábito foi crescendo e foram sendo desenvolvidas técnicas e conceitos sobre o desenho e é aí que surge o grafite.

√Č importante frisar que digo “essencialmente”, pois o ato de fazer desenhos nas ruas √© muito antigo, diversas sociedades fizeram isso com intuitos diferentes com o passar do tempo.

Talvez voc√™ at√© possa relacionar o grafite com a picha√ß√£o em sua cria√ß√£o, mas com certeza atualmente s√£o coisas bem distintas. O grafite √© uma arte urbana e p√ļblica, uma manifesta√ß√£o de diversos movimentos na √©poca e que continuam ativos at√© hoje.

A pichação é diferente em alguns aspectos, não apenas nos estéticos. Um exemplo é que enquanto a pichação é feita sem permissão e com intuitos geralmente subversivos, o grafite é feito com permissão e em ambientes artísticos com um conceito por trás.

√Č verdade que no in√≠cio e desenvolvimento do grafite n√£o havia crit√©rio e diferen√ßa entre as duas coisas, mas hoje elas se diferenciam em ess√™ncia.

Aceitação do grafite como arte

O grafite divide opini√£o e n√£o √© bem visto por muitas pessoas. Mesmo diante das t√©cnicas e conceitos, ainda existem pessoas que consideram polui√ß√£o visual, justamente por serem feitos em ambientes p√ļblicos, mas a verdade √© que reduzir o grafite apenas aos museus seria retirar a sua verdadeira ess√™ncia.

Grafite urbano

O grafite urbano representa algum movimento?

Isso é relativo, mas o grafite não é necessariamente parte de qualquer movimento. Ele surgiu de movimentos, principalmente os relacionados ao hip hop, mas hoje em dia, embora tenha essa conexão, se tornou algo independente e existem tantos artistas e estilos diferentes que é injusto dizer que o grafite pertença à determinado movimento.

Qual a ideologia por tr√°s do grafite urbano?

A palavra ideologia n√£o √© muito adequada. O grafite possui, sim, um hist√≥rico de resist√™ncia e de cr√≠tica social, principalmente ao se impor em um espa√ßo p√ļblico, al√©m de ser usado como express√£o em momentos de repress√£o, mas ele n√£o se limita √† isso. Existem artistas que fazem a arte pela arte. S√£o tantos conceitos, ideias e artistas grafitando de maneira diferente que n√£o √© t√£o simples resumir √† uma ideologia. Seria o equivalente √† perguntar “Qual √© a ideologia por tr√°s de pintar?”. Mesmo que o grafite seja uma arte nova, n√£o significa que n√£o tenha sua profundidade e abrang√™ncia.

Como o grafite urbano chegou no Brasil

A verdade é que não demorou muito para o grafite ganhar visibilidade nos EUA e outros países e locais começarem a praticar. O grafite chega no Brasil na década de 70 em plena ditadura e é utilizado como expressão e resistência ao governo. Claro que foi taxado de vandalismo e pichação, estigma que perdura até os dias atuais.

Foi S√£o Paulo que come√ßou a praticar a arte. Os artistas eram, em sua maioria, an√īnimos. Uma caracter√≠stica muito presente no grafite. A inten√ß√£o geralmente √© dar destaque para a arte e n√£o para o artista em si, mas isso n√£o √©, de maneira alguma, uma regra.

Mas e a pichação?

Se você não está convencido que a pichação é diferente do grafite, precisa entender que existem algumas diferenças muito evidentes:

  • O grafite √© feito com teor est√©tico e t√©cnico, al√©m de com permiss√£o pr√©via para a produ√ß√£o em vias p√ļblicas. √Č basicamente uma arte contempor√Ęnea
  • A picha√ß√£o √© feita sem a permiss√£o e com diferentes inten√ß√Ķes, como vandalismo, declara√ß√Ķes, assinaturas, al√©m de servir para demarcar territ√≥rio (no caso de gangues)
  • O grafite n√£o se limita √†s ruas, mas ele j√° est√° em galeria artes e com museus √ļnicos para arte urbana
  • A picha√ß√£o n√£o √© reconhecida como arte

Mas porque os dois s√£o t√£o confundidos? A verdade √© que possuem algumas semelhan√ßas, como o teor de cr√≠tica social, frases de reflex√£o e caracter√≠stica p√ļblica, urbana que preza pela liberdade, acabam criando a confus√£o entre os dois, mas grafite conseguiu reconhecimento, enquanto a picha√ß√£o continua sendo desvalorizada.

Existem as pessoas que consideram a picha√ß√£o uma arte. √Č uma ideia que divide opini√Ķes e gera a d√ļvida sobre at√© onde v√£o os limites da arte, e mais, se a picha√ß√£o pode considerada arte, ser√° que toda arte √© v√°lida ou existem as que n√£o s√£o construtivas?

Grafite urbano

Existe algum grafiteiro famoso no Brasil

Existem v√°rios e cada um com seu estilo √ļnico. Boa parte deles possuem sua arte expostas em museus, mas o principal e essencial √© v√™-las nas ruas. Voc√™ pode conferir abaixo alguns:

Eduardo Kobra

Provavelmente é o mais famoso e reconhecido. Sua arte mistura o realismo nos traços com um mix de cores que gera um contraste e acaba tornando seus grafites muito chamativos. Fica evidente o nível técnico do grafiteiro em suas obras. O paulista começou sua arte em São Paulo, mas hoje já é renomado e reconhecido mundialmente.

Anarkia Boladona

As mulheres também fazem parte do movimento artístico e não são poucas. Panmela, mais conhecida como Anarkia Boladona é uma artista que pinta mulheres e protesta contra o fim da violência doméstica. Sua arte carioca foi levada para Nova York.

Nina Pandolfo

Outra artista muito renomada no Brasil e no mundo. √Č comum o grafite ser algo de protesto e com uma imagem forte, mas Nina protesta justamente com o oposto: A delicadeza e fofura em seus murais. Tudo isso feito com uma t√©cnica que n√£o deixa nada a desejar.

Para concluir

Agora você já sabe o que é grafite urbano e a sua história e não corre mais o risco de confundir confundir com a pichação. A arte urbana ganha cada vez mais espaço no meio artístico e a tendência é que faça parte do nosso cotidiano com o passar o tempo.

Leave a Reply