Ivan Serpa

Ivan Serpa e suas nuances de figurativismo e arte concreta

Ao longo de sua hist√≥ria, o Brasil abrigou in√ļmeros talentos do meio art√≠stico, mas o √ļltimo s√©culo talvez tenha sido o que mais brindou o pa√≠s com nomes ic√īnicos para o desenvolvimento da cultura e da arte nacional como um todo. Al√©m de nomes que j√° citamos aqui no site, tais como H√©lio Oiticica e Waldemar Cordeiro, por exemplo, um personagem que traduz bem isso √© o emblem√°tico Ivan Serpa.

Famoso nos quatro cantos do pa√≠s e naturalmente tamb√©m em grande parte dos pa√≠ses do mundo, Ivan se notabilizou por ser uma figura multifacetada no √Ęmbito cultural. Ele expressou sua arte atrav√©s do figurativismo e da arte concreta e, apesar de ter falecido cedo, aos 49 anos, deixou uma grande heran√ßa cultural ao pa√≠s.

De modo geral, ele contribuiu grandemente não só com a evolução da arte e cultura por suas próprias obras, mas também na formação de outros talentos artísticos ao longo das décadas.

A seguir, falamos mais detalhadamente sobre sua vida e trajetória. Confira!

Quem foi Ivan Serpa ‚Äď vida e carreira

Nascido na década de 20, mais precisamente no ano de 1923, o carioca Ivan Ferreira Serpa fez da arte a sua vida. Ele participou ativamente de movimentos renomados e importantes na história cultural do país. Dentre as muitas maneiras de expressar suas ideias, ele se destacou como pintor e desenhista, sendo ainda professor e gravador.

Considerando o dinamismo de sua arte e a facilidade de expressar suas ideias das mais diferentes maneiras, podemos falar sobre sua carreira pontuando suas principais fases. Para melhor compreensão, dividimos em tópicos, aos quais passamos a seguir.

Ivan Serpa

Fase 1 de Ivan Serpa

Temos aqui o início da trajetória de Ivan Serpa em meio à arte, o que aconteceu ainda no começo dos anos 40, em sua adolescência. Na ocasião, ele começou criar seus primeiros desenhos, já demonstrando grande aptidão para a área.

Apostando nessa veia artística, seis anos mais tarde passou a fazer aulas com o emblemático Axl Leskoschek, nos idos de 1946. Nessa fase, ele também estendeu seu aprendizado à gravura e à pintura. Foi aí que se prestou, portanto, em extrair o máximo do mentor Leskoschek.

Apesar do tino para m√ļltiplas formas de arte, nesse per√≠odo ele busca realizar obras figurativas e sem muita preocupa√ß√£o com temas ou vis√£o liter√°ria. Todavia, aproximando-se do fim da d√©cada, come√ßa a se distanciar de pinturas de teor acad√™mico e modernismo nacionalista. Assim, passa a buscar mais a estrutura da composi√ß√£o e ritmo das formas.

√Č nesse per√≠odo que ele ent√£o adere ao abstrato, ainda que de maneira t√≠mida, realizando em 1947 a primeira obra do g√™nero. A obra em quest√£o foi um guache gestual ordenado de maneira geom√©trica. Depois desse ponto de virada, Ivan Serpa chega √† d√©cada de 50 j√° buscando sistematicamente a arte abstrata.

Fase 2 de Ivan Serpa

Mergulhando na abstra√ß√£o, o artista passa ent√£o a recompor temas mais cl√°ssicos da pintura, explorando pureza de cores e as formas org√Ęnicas, al√©m de men√ß√Ķes figurativas a partir de moldes geom√©tricos.

Dentro desse contexto, concebe ent√£o em 1951 a pintura Formas, onde explicita de fato sua paix√£o pela geometria no contexto do abstrato. As convic√ß√Ķes do artista quanto a essa nova vertente, por√©m, ganham novos ares pouco tempo depois, quando ele tem contato com pe√ßas de artistas concretos famosos.

Neste mesmo ano ele recebe o título de Melhor Pintor Jovem na 1ª Bienal Internacional de São Paulo, onde, aliás, conhece o concretismo de Max Bill e Sophie Taeuber-Arp. A partir daí, resolve se render definitivamente ao concretismo. Diante disso, abandona em definitivo as referências à realidade e se presta a trabalhar a geometria das obras com organização matemática, trabalhando de maneira extremamente precisa a figura e o fundo.

No pr√≥ximo ano, ele enfim embarca em uma nova aventura, tornando-se professor no Museu de Artes Modernas do Rio de Janeiro. √Č l√° que ele forma alguns dos grandes talentos culturais e art√≠sticos do pa√≠s, incluindo o j√° mencionado H√©lio Oiticica.

Ainda na d√©cada de 50, se prop√Ķe ent√£o a criar o Grupo Frente, l√° por volta de 1953. Esse grupo art√≠stico n√£o tinha exatamente todas as caracter√≠sticas do concretismo, no entanto, o coletivo abrigou a produ√ß√£o concreta do Rio de Janeiro. O “time” foi liderado pelo pr√≥prio Serpa at√© 1956, quando o mesmo se dissolveu.

Ivan Serpa

Aprimoramento e fidelidade

J√° na d√©cada de 60, Ivan Serpa passou a seguir ainda mais fielmente seus princ√≠pios construtivos. Isso implicou em tornar a explora√ß√£o das formas geom√©tricas ainda mais objetivas. Dessa forma, passou a usar nessa fase uma s√©rie de materiais da ind√ļstria, optando especialmente pela neutralidade nas texturas.

Nesse aprimoramento, ele tamb√©m buscou afastar a pessoalidade de suas obras, o que fica expl√≠cito com o nome dado √†s obras compostas nessa √©poca: Faixas Ritmadas e Constru√ß√Ķes. Mesmo dentro desse cen√°rio, no entanto, Ivan ainda se prop√Ķe a experimentar. Dessa forma, segue cometendo pequenas ousadias para n√£o limitar a sua criatividade.

Em meio a esse processo ele então se torna menos determinista em relação ao concreto, passando a incorporar manchas, gotas de tinta e até gestos em suas obras. Seguindo essa fase mais experimental e de adesão mais enfática à figuração, ele adere ao desenho infantil. Assim, passa a pintar manchas informes, construindo a partir daí uma série de imagens que transitavam entre o abstrato e o figurado.

Ainda nos anos 60, mais precisamente em 1963, se rende de fato ao figurativismo, focando mais especificamente na figura√ß√£o gestual, com similaridade ao grupo CoBrA. √Č essa nova frente que o coloca pr√≥ximo de nomes que receberiam a alcunha de Nova Objetividade Brasileira.

Nesse contexto, encontra tempo e re√ļne seu talento para criar S√©rie Negra, as s√©ries de Bichos e Mulheres com Bichos.

Fase Op Art

Caminhando para o fim dos anos 60, já em 1967, ele começa então a retomar a linguagem construtiva como principal em sua arte, passando a trabalhar novamente com elementos claramente definidos a partir de figuras geométricas. Nesse período também começa a trabalhar com Op Erótica em um subnicho da Op Art.

Nesse caminho ele segue at√© chegar √†s pinturas Geom√Ęnticas, um projeto que se inicia em 1969 e segue at√© 1973, quando Ivan Serpa vem a falecer no Rio de Janeiro, sua cidade natal, antes mesmo de completar seu 50¬ļ anivers√°rio.

Leave a Reply