Cildo Meireles

Cildo Meireles: pintor e escultor nascido no Brasil

Nascido em 1948, Cildo Meireles é um artista conceitual, artista de instalação e escultor brasileiro.

Conhecido internacionalmente por suas instala√ß√Ķes, muitas de suas obras expressam resist√™ncia √† opress√£o pol√≠tica no Brasil. Esses trabalhos, geralmente grandes e densos, estimulam uma experi√™ncia fenomenol√≥gica por meio da intera√ß√£o do espectador.

Seu trabalho frequentemente explora escala, variando de um pequeno cubo t√£o pequeno quanto um gr√£o de feij√£o, at√© instala√ß√Ķes em larga escala que preenchem salas inteiras. Outro elemento-chave de seu trabalho √© o uso da participa√ß√£o, que muitas vezes √© central na ideia por tr√°s da pe√ßa. Em resumo, o Trabalho de Cildo Meireles sempre procura algum tipo de comunh√£o com essa entidade ampla indefinida chamada p√ļblico.

O que é arte conceitual?

Este termo refere-se a uma √°rea da arte em que o artista d√° uma import√Ęncia maior √† explora√ß√£o de uma ideia ou conceito do que a pr√≥pria obra de arte. Portanto, frequentemente, a pe√ßa √© secund√°ria ao processo ou desempenho que a cria. Para Meireles, a exist√™ncia da arte conceitual foi particularmente importante devido √† pobreza e √† situa√ß√£o prec√°ria no Brasil.

Para ele a arte conceitual afirma a capacidade de qualquer um de fazer arte, mesmo quando privado de condi√ß√Ķes econ√īmicas ou t√©cnicas. N√£o se trata, por√©m, de estetizar a pobreza, mas de dar voz a uma multid√£o de indiv√≠duos.

Início da carreira

Meireles se mudou com sua fam√≠lia para Goi√Ęnia antes dos 4 anos de idade. De l√° dirigiu-se com a fam√≠lia em dire√ß√£o a capital modernista de Bras√≠lia quando havia completado 10 anos de idade. Morou na cidade durante nove anos, e acompanhou de perto o surgimento da nova cidade projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, que surgia ao seu redor.

Meireles esperava estudar cinema, mas esse sonho acabou por desaparecer, e seu envolvimento nas artes o fez tomar um rumo diferente. Ele tinha apenas 19 anos quando participou de sua primeira exposição de arte, no Museu de Arte Moderna da Bahia, em Salvador.

Cildo Meireles

Arte crítica

Durante um per√≠odo de regime militar e repress√£o pol√≠tica no Brasil, Meireles respondeu produzindo suas duas obras chamadas Inser√ß√Ķes em circuitos ideol√≥gicos (1970‚Äď75). Para esse projeto, ele carimbou mensagens an√īnimas em ingl√™s e portugu√™s em cruzeiros brasileiros e garrafas de Coca-Cola e as colocou em circula√ß√£o.

Suas notas diziam ‚ÄúElei√ß√Ķes Diretas‚ÄĚ, ‚ÄúYankees Go Home‚ÄĚ e ‚ÄúQuem matou Herzog?‚ÄĚ. O √ļltimo dos quais referenciou a morte por tortura (oficialmente relatado como suic√≠dio) do jornalista de televis√£o Wladimir Herzog, um oponente vocal da ditadura militar. Embora esses objetos tenham sido coletados posteriormente em museus, Meireles, que foi influenciado pelo cr√≠tico brasileiro Ferreira Gullar, insistiu que os objetos n√£o eram a arte.

Meireles viu as garrafas de cola como uma oportunidade para subverter o capitalismo, e em particular a influência das marcas americanas que entraram no Brasil naquela época. A declaração que ele concedeu na época reforçou ainda mais o estilo de arte e qual era seu direcionamento.

Lembre-se de que o trabalho não é o que vemos em uma exposição de museu. Não são as notas bancárias ou as garrafas de Coca-Cola. Esses objetos são apenas relíquias. O trabalho em si não tem materialidade. E é efêmero. Só existe quando alguém está interagindo com ele. A esse respeito, está muito mais ligado ao conceito de anti objeto ou de não-objeto.

Eureka: aparência vs realidade

Tamb√©m nessa √©poca, Meireles trabalhou no desenvolvimento de sua primeira instala√ß√£o, chamada Eureka / Blindhotland (1970-75), que, por conta pr√≥pria, segundo suas pr√≥prias palavras ‚Äúlidava com a diferen√ßa entre apar√™ncia e realidade‚ÄĚ.

A obra consistia em 200 bolas pretas com o mesmo volume, mas com massa diferente. Os participantes da exposição foram convidados a interagir com as bolas e a meditar sobre a enganação da aparência.

Outra das instala√ß√Ķes famosas de Cildo Meireles s√£o, Miss√£o / miss√Ķes (como construir catedrais) de 1987, que era composta por 600.000 moedas, uma pilha de 800 bolachas de comunh√£o e 2.000 ossos de gado suspensos.

Segundo o artista, tratava-se de europeus, particularmente jesu√≠tas, nas Am√©ricas, simbolizando ‚Äúpoder material e poder espiritual, e uma esp√©cie de inevit√°vel e historicamente repetida consequ√™ncia dessa conjun√ß√£o, que foi uma trag√©dia‚ÄĚ.

O que dizem os críticos?

Em 2008, Meireles venceu o Pr√™mio Ordway, um presente sem restri√ß√Ķes de US $ 100.000. Administrado pelo New Museum e pelo Creative Link for the Arts, na cidade de Nova Iorque, e nomeado pela naturalista e filantropa Katherine Ordway, o pr√™mio foi concedido na bienal e simultaneamente a dois indiv√≠duos no meio da carreira, um artista e um curador.

Grande parte dos trabalhos de Meireles apresentam uma fisicalidade desonesta, assim como manifestam uma eleg√Ęncia e economia formal.

Cildo Meireles

Palavras do artista

Para Meireles, o trabalho político é feito a partir do momento em que nos obrigamos a reagir a determinado evento. Desse modo, de alguma forma, você se torna político quando não tem a chance de ser poético. Ele entende que os seres humanos, nesse caso, preferem optar pelo posicionamento poético.

De fato, de acordo com o próprio Meireles, todos os seres humanos gostariam de ter paz, aproveitar a vida, ter boa comida, ter uma relação sadia, aproveitar a cultura e o lazer. Entretanto, para ele, talvez isso jamais seja possível.

Um dos pensamentos mais presentes em suas obras s√£o a necessidade que o autor busca na cria√ß√£o de uma rela√ß√£o entre as suas obras de arte e o espectador. Meireles entende que a arte at√© pode existir se n√£o houver um visualizador, mas que ela acabaria se tornando pouco √ļtil.

Desse modo, um dos mais relevantes inspiradores da arte conceitual brasileira, o artista elaborou diversas obras que possu√≠am uma vis√£o politica significativa, com uma est√©tica que seduz e intriga filosoficamente o espectador. Isso durante suas 4 d√©cadas de trabalhos apresentados. Suas obras destilam ideias complexas em objetos ou ambientes √ļnicos.

As obras de Cildo Meireles geralmente come√ßam em um objeto comum ou em uma mem√≥ria de inf√Ęncia, que se transmuta em uma especula√ß√£o perceptiva, filos√≥fica e cosmol√≥gica. A realidade encontrada ali √© frequentemente dura, mas marcada pela resili√™ncia e inventividade humana.

Leave a Reply